Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

Publicado: Terça, 09 de Junho de 2020, 10h45 | Última atualização em Sexta, 10 de Julho de 2020, 13h05 | Acessos: 132

O pioneirismo marcou os caminhos do Ensino Superior no Estado do Amazonas. A Escola Universitária Livre de Manaus, formada pelas Faculdades de Ciência e Letras, de Ciências Jurídicas e Sociais, de Medicina, Farmácia, Odontologia e Curso de Parteiras – é a antiga denominação da primeira universidade brasileira – como instituição que congregou vários cursos de Ensino Superior – fundada em 17 de janeiro de 1909.

E nessa premissa inovadora, que o Ensino Superior do Estado do Amazonas, agora pela iniciativa da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), se fazendo uso do Plano de Desenvolvimento da Educação, por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), implementado pelo Decreto nº 6.096 de 2007 pelo Governo Federal, aprova em 2009 a criação do curso em Bacharelado em Engenharia de Materiais, pela Resolução nº 042/2009 CEG/CONSEPE/UFAM.

Desta forma, o curso foi montado para que seu objetivo principal fosse a formação de recursos humanos para o desenvolvimento de profissionais qualificados, os quais pudessem proporcionar a geração e aplicação de conhecimentos com atenção a inter-relação entre estrutura, propriedade, processamento e aplicação, mas que observe o ponto de vista regional, estadual e federal e, acima disso, considere a importância da região, o que não era notado por profissionais da área atuantes no Polo Industrial de Manaus (PIM), vindos de outras regiões do Brasil e até mesmo de outros países.

Assim, no semestre letivo de 2009/1, iniciou a primeira turma do Curso Bacharelado em Engenharia de Materiais, da Faculdade de Tecnologia, da Universidade Federal do Amazonas e sendo reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) por meio da Portaria nº 346, de publicada no DOU nº 105 de 04/06/2014, obtendo o conceito 4 (dentro de uma escala que vai de 1 a 5) e tendo a renovação de reconhecimento pela Portaria nº 921 de 27/12/2018, publicada no DOU nº 249 de 28/12/2018.

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página